Entrevista: Tatiane Tálita, autora de De olhos Fechados, revela fatos exclusivos para o Era uma vez!

Olá  pessoal, tudo bem? Hoje temos o prazer de trazer para vocês uma entrevista exclusiva com a autora Tatiane Tálita que vai lançar o seu primeiro livro, De olhos Fechados, agora em Junho, pela editora Arwen!
Nós fomos atrás da autora, é claro, e fizemos uma exclusiva muito legal. As respostas? Você confere aqui, no Era uma vez... Livros & Cia!

1 – Olá, Tatiane, tudo bem? Minha primeira pergunta é: quando você descobriu que gostaria de ser escritora?

Tatiane: Olá, Letícia, estou bem sim, como alguém que está prestes a ver um sonho de infância realizado poderia estar, com o coração praticamente saindo pela boca.
Minha história como escritora não é diferente de outras tantas. Acredito que existe momentos em nossas vidas que mudam tudo e principalmente mudam a gente. Comigo foi assim, em uma fase muito ruim, encontrei a paz na leitura e me encantei completamente. Fascinada pelas sensações que a magia da literatura proporciona a nós, aos quinze anos de idade, escrevi meu primeiro livro. Em um caderno de matérias, porque não tinha computador, escrevi a vida que desejava ter, a história que deseja viver. Descrevi a personagem principal como eu queria realmente ser fisicamente, assim como todo o resto. Este livro se chama “Um Sonho e Nada Mais”, muito apropriado, pois não passou disso, um belo sonho.
Quando terminei de escrevê-lo, tive certeza de que queria ser uma escritora, foi nesse momento que esse desejo nasceu em mim, que esse sonho nasceu e criou raízes tão fortes que todos os obstáculos nunca conseguiram arrancar.
Mas tive que guardar esse sonho somente em meu coração por longos dez anos, somente em abril do ano passado resolvi lutar por ele, então comecei a escrever o De Olhos fechados, terminando cerca de três meses depois.

2 – Quem é Tatiane Tálita por trás dos livros?

Tatiane: Por de trás dos livros, vão encontrar a Tati, é assim que gosto que me chamem. Uma mulher de vinte e cinco anos, que ainda acha que tem quinze, claro, o tamanho ajuda, rs.
Uma mulher ligeiramente tímida, insegura, medrosa, mas que esconde esses sentimentos do mundo, fingindo ser forte e dura. Uma menina alegre, divertida que vai contar piadas sobre ela mesma, que não lamenta a sorte. Tão positiva que acredita que pode realizar todos os seus sonhos, que todos podem realizar seus sonhos, que basta apenas não desistir.
Uma mulher cheia de ideias e sonhos, que tem tanta empatia pelas pessoas, que chora fácil, que defende quem nem conhece. Que não suporta injustiça, por isso resolveu cursar direito e passa noites acordada estudando para ser um dia, talvez, promotora de justiça, para levar exatamente isso, o mínimo possível de justiça as pessoas.
Uma menina que vai parar o carro e acolher um cachorro de rua, que vai chorar com ele no colo. Uma menina que quase mata a mãe (Luzia, minha avó paterna) sufocada em um abraço apertado, que liga para ela várias vezes por dia só para escutar a voz.
Uma menina que quando se diz amiga de alguém vai brigar por você com o mundo e com você para te ajudar a seguir no mundo.
Uma mulher ansiosa, determinada, cheia de medos, mas tomada pela fé.
Vocês vão encontrar por de trás das malucas histórias que minha mente insiste em criar enquanto durmo, uma menina doce, brincalhona, feliz e decidida a nunca desistir, nem que tenha que esperar mais dez longos anos.


3 – Uau! Que resposta intensa! Adoramos! E Tati, se nos permite dizer, seu primeiro livro a ser publicado se chama De Olhos Fechados e marca o início da sua carreira como escritora. Conte-nos um pouquinho, como foi o processo de escrita dele?

Tatiane: Em abril de 2015, eu estava com um bebê recém-nascido, com um marido desempregado, com a faculdade trancada e com contas que não tinha a menor ideia de como iria pagar. Não dormia a noite, triste, preocupada, então em uma noite dessas, sonhei com a história desse livro.
Na primeira noite, vi apenas o final, por isso comecei o livro pelo prólogo. Na noite seguinte mais um sonho, e assim foi acontecendo seguidas noites, até sonhar com todo o desfecho.
Foi uma luz no fim do túnel para mim, e depois de concluí-lo senti-me bem, viva e de volta a luta diária.
É um enredo forte, intenso, que no começo da leitura leva o leitor a pensar que é um romance comum, com drama, mas que logo de cara, mostro que não. Depois o leitor pensa que se trata de uma vingança, nesse sentindo, em partes está perto da verdade. Depois o leitor acredita ser um romance new adult, por realmente tem cenas quentes, mas esse não é o foco da história.
O tema central do livro é o mistério sobre a verdade por detrás das intenções do personagem principal, o enigmático Enzo Barbieri. O tempo todo no livro, ele afirma que está jogando, está é uma das poucas verdades que ele conta.
As frases repetitivas, também não estão lá por acaso, são pistas para a verdade.
O outro tema dessa história, é a transformação de uma pessoa, a frase que vai na capa “monstros não nascem, são criados” remete a isso, no como a vida, um momento, uma situação podem mudar uma pessoas, mas claro ela tem que querer.
Costumo brincar com alguns leitores, perguntando, quem é o verdadeiro monstro desse livro? Enzo, Manoela? Somente no segundo para descobrir.
E se o final do primeiro foi surpreendente, fez com que alguns leitores me procurassem, alguns bravos, outros em busca de respostas, acredite, quando digo, o final do segundo é bem impactante.
Tentar enganar o leitor, para fazê-lo crer que é um romance clichê, entre uma pobre mocinha e um homem poderoso, não foi nada fácil. Amarrar as pontas desse enredo, tudo para surpreender no final, foi mais difícil ainda, e sempre me pergunto se consegui amarrar todas as pontas que precisava.
Com certeza, de que essa é uma história forte, cheia de segredos, mistérios e reviravoltas, que nela nem tudo é o que parece.
E acredite, Letícia, fui fiel ao sonho, mesmo querendo mudar algumas partes, principalmente o final, mas fui fiel. E por pura coincidência do destino, a forma como descrevo certa organização é bem perto da realidade.
Garanto que, caso passe dos três primeiros capítulos, espere por ser surpreendido por mim no final, sentindo algum dos extremos, ou vai odiar ou amar o Enzo.
Confesso, hesitei muito antes de escolhe-lo como livro de estreia, devido as intensas cenas que ele tem, assim como sua sequência, que é ainda mais forte. Mas ele martelava em minha mente para sair, para ir para o mundo, para lutar por ele.


4 – Olha, sonhar fez com que você literalmente colocasse o sonho no papel! Assim, eu gostaria de saber: Qual a mensagem que você quis passar com o livro De Olhos Fechados?

Tatiane: Essa pergunta me fez pensar, qual mensagem eu quero passar com essa história que alguns olhando se confundem sobre o tema central do livro, alguns acham que é suspense, outros new adult, outros que se trata de ação, outros de romance.
Mas tenho essa resposta desde que comecei a escrever a primeira linha desse livro. Tenho com ele duas mensagens para passar.
A primeira, é mostrar como a verdade dos fatos muitas vezes fica encoberta por fracas maquiagens, mas que mesmo assim nós não a vemos, isso acontece diariamente. As pessoas julgam as outras pelo que veem por fora, julgam situações baseados em falsas percepções e no pouco que fica evidente, mas como disse um nobre pensador, que por muitos é mal interpretado, “todos veem o que você parece ser. Mas poucos sabem o que você realmente é” disse Maquiavel.
A outra mensagem, é que a vida, as escolhas, moldam e mudam as pessoas completamente, tornando-as boas ou ruins. Que essa transformação muitas vezes é imposta a nós. Ou você é forte ou a vida te derruba, não existe opção. Sempre estamos em constante evolução, mas a evolução de algumas pessoas pode ser negativa e tudo depende de como ela vai reagir a certos momentos, no que ela vai escolher para si.

5 – Podemos esperar mais de Tatiane Tálita?

Tatiane: Nossa, se podem esperar mais de mim como escritora? Sempre! Depois de abril de 2015 não consegui mais parar de escrever. Hoje tenho três livros prontos, vários rascunhos e dois contos inspiradores que fiz em homenagem a uma amiga.
Tenho vários trabalhos ótimos (pelo menos para mim) e estou trabalhando neles, completamente apaixonada em alguns personagens, histórias.
Estou tentando aprimorar meu trabalho, tomei ciência do que era um “beta” a poucas semanas, não tive uma para escrever o De Olhos Fechados, fui eu, meu sonho, algumas dicas do meu marido nas últimas cenas fortes do final do livro e a leitura de uma amiga que me ajudou muito com as virgulas e alguns erros de português, e principalmente com incentivos, porque eu quis desistir inúmeras vezes.
Atualmente fiz um perfil no aplicativo Wattpad e coloquei lá meu segundo trabalho, um romance mesmo. É uma sequência de romance country e sertanejo, influência do meu estado, sou do interior de Goiás.
O livro se chama “Os cowboys – O predador”, tem menos de um mês que ele está disponível, não passou por revisor nenhum (está passando agora) e já teve mais de 1800 leituras, o que para muitos pode parecer pouco eu sei, mas que para mim, comemorei com lágrimas de alegria, pois nunca pensei ser possível.
Sabe aquela louca que sai correndo dentro de casa, pulando, gritando e chorando de alegria... então, prazer, Tatiane Tálita.
E podem esperar de tudo vindo por aí, histórias de superação, drama, alguns romances doces daqueles de fazer a barriga encher de borboletas geladas, romances new adult (me disseram que sou boa para escrever essas cenas e me pediram para tentar, então vamos lá), mas sempre espere por final surpreendentes em minhas histórias, menos nos romances bonitos, desejo um final feliz e cheio de amor para todos nós, então em algumas histórias inevitavelmente vou colocar. Ainda não mandei nenhum outro trabalho meu para editoras, mas pretendo fazer isso logo, logo.

6 – Qual foi a parte mais difícil depois do: terminei o livro, e agora?

Tatiane: Sou muito nova nesse mercado, estou apenas engatinhando. Ainda vou enfrentar muita dificuldade, mas por enquanto a parte mais difícil é a divulgação.
Vejo muitos autores dizendo que foi trabalhoso para publicar, realmente, concordo é muito difícil para o autor nacional. Além da resistência dos leitores ao nacional, algumas editoras cobram preços altíssimos e muitas nem querem publicar autor desconhecido, como eu sou, mas não achei que esse foi a maior dificuldade.
Quando terminei o livro De Olhos Fechados, em junho de 2015, sendo presunçosa, encaminhei ele a grandes editoras e a pequenas, foram seis que escolhi, e tive resposta de três e uma me procurou espontaneamente depois que já tinha até assinado contrato.
Foram, no total, quatro editoras que tiveram interesse em publicar o De Olhos Fechados, duas cobraram caro, eu não tinha dinheiro, uma reduziu o valor pela metade, mas mesmo assim não tinha condições.
E as duas últimas cabiam no meu bolso, pensei durante uma semana, analisei os contratos e abracei a Arwen, estou muito feliz por essa escolha.
Para mim a maior dificuldade é divulgar, sou tímida, não parece, mas sou. Reservada, gosto de ficar na minha e não tenho dinheiro para ficar fornecendo brindes e livros para chamar a atenção, então essa é minha maior dificuldade.
Espero melhorar isso um dia.

7 – Você vai estar na bienal do livro de SP, não é? Conte-nos o dia e o horário, assim os leitores poderão ficar atentos!

Tatiane: Bienal Internacional do Livro em São Paulo, só de pronunciar o nome eu tremo de medo, de alegria, de entusiasmo. Imagine a minha expressão facial quando recebi o e-mail da Camilla da Arwen, confirmando o lançamento do meu primeiro livro dentro do evento, então, eu não sabia se ria, se chorava, se saia correndo ou pulava. E pior, eu estava no trabalho.
O lançamento do livro será dia 2 de setembro, sexta-feira, às 14h, e eu mal vejo a hora de chegar. Ainda, mais depois que alguns leitores que leram o livro assim que terminei de escreve-lo, pois disponibilizei em um grupo de leitura do facebook e ele ficou 12 dias na amazon, disseram que vão me conhecer.
Coração e ansiedade a mil aqui.

8 – Para você, o que é literatura?

Tatiane: A literatura é, sem sombra de dúvida, o melhor alimento para a mente e para a alma. Enche o ser humano de paz. As pessoas deveriam ler mais. Principalmente os brasileiros e os autores nacionais, sinto bastante essa resistência, esse desacreditar que alguns leitores tem com o autor nacional, pois como diz o ditado “santo de casa não opera milagre”, mas opera sim, basta dar a ele uma chance.

9 – Você acha que os blogs são importantes na divulgação do autor nacional de modo geral? Como você vê esse processo de divulgação?

Tatiane: Os blogs são o pilar de sustentação do autor, sem a ajuda de blogueiras é muito mais difícil, eu que o diga. Tenho muita dificuldade para divulgar, mas conheci pessoas incríveis, que estão me ajudando.
Esse processo de divulgação é lento, constante e precisa de muito apoio, e as blogueiras são uma das únicas pessoas que estão dispostas a fazerem isso.
São muito necessárias e admiro o trabalho delas.

10 – Bem, agora gostaria de pedir a você que deixasse uma pequena mensagem ao leitor, convidando-o para conhecer a sua obra e convidando-o a estar a posto no dia da pré-venda que será agora, dia 01 de Junho! Fique à vontade!

Tatiane: Primeiramente, gostaria de agradecer a você, Letícia, pelo apoio e carinho. Você tem um coração imenso, é uma pessoa especial e iluminada, mas acredito que nem precisava falar isso, pois todos já sabem.
Quero também agradecer as blogueiras que estão ajudando essa barriga verde aqui, elas não fazem ideia de o quanto são importantes para mim.
Ao leitor, só posso pedir que venha conhecer meu trabalho, permita-me fazê-lo viver as fortes emoções que senti ao escrever esse livro. Sinta minimamente as nuances dessa história, que a mim fez chorar, fez ficar nervosa, triste e até sentir desejo.
Esse livro foi meu resgate, meu recomeço, e é apenas a ponta do iceberg do que ainda está por vir.
O maior prazer do autor é ver a satisfação do leitor. Ganho o dia quando recebo uma mensagem de carinho de alguém que leu e gostou, isso vale mais que tudo. E estou nessa busca constante, não vou desistir, vou sempre tentar melhorar meu trabalho para agradar a vocês.
Dia 1º de junho, quarta-feira, venha conhecer meu trabalho e me diga depois o que achou, estou apenas começando e conto com vocês para realizar um sonho que engavetei por dez longos anos, mas que nunca morreu.
Minha última mensagem a você, leitor, lute pelos seus sonhos, não desista dele, seja ele qual for, você é capaz, basta não desistir e lutar todos os dias. Se eu estou conseguindo, você também consegue. Eu acredito nisto!
Mantenha um pé no chão, mas coloque o outro no céu.
Beijos da baixinha aqui.

E essa foi a nossa exclusiva com a autora Tatiane Tálita que foi super simpática e receptiva! A todos que acompanham o blog, fica o convite: De olhos Fechados vem ai! Não perca!

Disponível para venda na www.arwenstore.com.br a partir da meia noite do dia 01 de Junho!
Beijos pessoal e até a próxima!


Um comentário:

Olá! Seu comentário é muito importante para nós!